Tumores do fígado

TUMORES BENIGNOS DO FÍGADO

HEMANGIOMA DO FÍGADO (ou angioma) - é um tumor benigno muito frequente (6-7% da população) que será mais correcto considerar uma malformação vascular e não um tumor. O diagnóstico é quase sempre feito pela ecografia que mostra uma lesão hiperecogénica bem delimitada. Geralmente têm 5-10 mm de tamanho, são assintomáticos e não requerem qualquer tratamento. Os hemangiomas gigantes com mais de 5 cm podem por dúvidas no diagnóstico e exigir outros estudos. HIPERPLASIA NODULAR FOCAL - Embora seja mais frequente na mulher não está associado à ingestão de contraceptivos. É assintomática em mais de 80% dos casos e raramente requer tratamento. Em casos raros pode causar sintomas por comprimir as estruturas vizinhas e pode ser difícil de destinguir dum tumor maligno. ADENOMA HEPÁTICO - é frequente nas mulheres que tomam contraceptivos. Quase sempre são assintomáticos e diagnosticados pela ecografia. Se são múltiplos ou se têm mais d 10 cm podem malignizar. Há outros tumores benignos do fígado mas são muito raros.

TUMORES MALIGNOS DO FÍGADO

O cancro do fígado é pouco frequente em Portugal A sua incidência é muito inferior à do cancro do cólon e recto ou do estômago, como pode se pode ver na imagem ao lado. Não é assim noutras regiões, como por exemplo em Moçambique, onde o cancro do fígado é o cancro mais frequente. A maior parte, mais de 90%, dos cancros do fígado são carcinomas hepatocelulares (também chamados hepatocarcinomas ou hepatomas) e menos de 10% são colangiocarcinomas. Os outros cancros são muito raros.

QUAL A CAUSA DO HEPATOCARCINOMA?

As doenças crónicas do fígado, sobretudo a cirrose podem evoluir para cancro do fígado. Em Portugal as causas mais frequentes de cirrose são o álcool e o vírus da hepatite C. Outras causas de cancro do fígado: vírus da hepatite B, hemocromatose...são, entre nós, menos frequentes.

COMO SE FAZ O DIAGNÓSTICO DO HEPATOCARCINOMA?

O agravamento duma cirrose com dor, ascite com sangue, massa palpável etc leva à suspeita do possível aparecimento dum tumor que a imagiologia (ecografia, TAC, RM) deve procurar esclarecer. A Fosfatase Alcalina e a alfafetoproteina podem elevar-se mas em cerca de 20% dos casos são normais

QUAL O TRATAMENTO DO CARCINOMA HEPATOCELULAR?

A cirurgia (recessão ou transplante) é o único tratamento curativo. A químio e a radioterápia não são eficazes.
FÍGADO