Pancreatite aguda

PÂNCREAS
Pancreatite aguda é uma inflamação súbita, por vezes grave, da glândula pancreática. As enzimas pancreáticas só devem ser activas quando chegam ao duodeno. Se são activadas ainda no pâncreas provocam uma lesão dentro do pâncreas e que pode atingir outros órgãos como rim pulmões etc. e revestir-se de gravidade. QUAIS AS CAUSAS DA PANCREATITE AGUDA? Na mulher a causa é sobretudo a litíase da vesícula, porque a litíase é mais frequente na mulher e no homem a causa mais frequente é o álcool. Estas duas causas são responsáveis por mais de 80% das pancreatites agudas Os cálculos desprendem-se da vesícula e, podem causar a obstrução do canal pancreático levando ao refluxo da bílis para o canal pancreático que irá activar as enzimas pancreáticas. Os mecanismos que levam o álcool a activa as enzimas dentro do pâncreas não são bem conhecidos mas uma vez desencadeados os mecanismos de autodigestão podem levar a uma inflamação generalizada de consequências mortais. OUTRAS CAUSAS DE PANCREATITE AGUDA: hipercalcémia medicamentos hipertriglicidémia obstrução da papila de Vater obstrução do canal pancreático Disfunção do esfíncter de Oddi Traumatismo hereditária autoimune COMO SE MANIFESTA A PANCREATITE AGUDA? A dor é o sintoma principal. Localizada no epigastro pode espalhar-se aos hipocondríaco e ao ombro ou atingir todo o abdómen. A dor leva a adoptar posições antiálgicas: flectindo o tronco sobre as pernas. A dor pode acompanhar-se de náusea e vómito. Há hipotensão, taquicardia e distensão abdominal. COMO SE FAZ O DIAGNÓSTICO? A ajuda inicial vem da bioquímica: a amilase e a lipase no soro são significativas se ultrapassam três vezes o normal. A imagem pode ser útil no diagnóstico e no prognóstico: A TAC com administração de contraste permite estabelecer uma classificação da gravidade. QUAL O PROGNÓSTICO? Cerca de 15 a 20% das pessoas desenvolvem uma pancreatite aguda com falência de vários órgãos e por isso grave. A mortalidade nestes casos atinge 20-25% dos casos. Em cerca de 80-85% dos casos a pancreatite é ligeira e cursa sem mortalidade. Há vários critérios para predizer a gravidade QUAL O TRATAMENTO? Os casos graves exigem tratamento intensivo em UCI