Desenho esquemático da execução da técnica de Longo

Hemorróidas

O QUE SÃO HEMORROIDAS?

As hemorróidas, também chamadas, almorreimas ou almorróidas são "almofadas" normais, constituídas por tecido vascular (arterial,venoso e arteriovenoso), tecido muscular liso e tecido conjuntivo de suporte. Estas almofadas vasculares desenvolvem-se durante a vida embrionária. Já nascemos com estas estruturas. Quando as hemorróidas causam sintomas existe Doença Hemorroidária.

O QUE LEVA AS HEMORRÓIDAS A CAUSAR SINTOMAS?

Há vários factores que predispõem ao aparecimento da doença

hemorroidária:

Dieta podre em fibra Vida sedentária Alterações endócrinas Uso de laxantes Há uma maior incidência em algumas famílias COMO SE MANIFESTA A DOENÇA HEMORROIDÁRIA? Perda de sangue - geralmente, sangue vermelho vivo, no fim da defecação que raramente é causa de anemia. A perda de sangue pelo recto numa pessoa com mais de 45 anos exige a realização dum exame endoscópico do cólon, para excluir a existência dum tumor benigno ou maligno. Prolapso - Se as hemorróidas não fazem procidência para fora do ânus dizem-se de grau I se fazem procidência para fora do ânus e esta é redutível espontaneamente (hemorróidas de grau II), se só volta ao canal anal se forem forçadas manualmente (são de grau III) se são irredutíveis (são de grau IV). Neste caso o tecido prolapsado pode necrosar dando origem à situação conhecida por hemorróidas "estranguladas" (crise hemorroidária). Prurido - comichão e desconforto na margem do ânus em consequência da saída de muco. Trombo hemorroidário: é a única manifestação das hemorroidas externas. A sua resolução dá origem a mariscas cutâneas geralmente assintomáticas. Dor - raramente as hemorróidas são causa de dor: As hemorróidas são causa de dor quando são procidentes e complicadas de tumefacção, edema e microtrombos. É a chamada crise hemorroidária. Também os trombos são dolorosos, por vezes muito doloroso. Manifestações urinárias: urinar com muita frequência e dificuldade em urinar são sintomas que podem existir relacionados com a doença hemorroidária são os chamados " falsos prostáticos de origem hemorroidária " que podem melhorar com o tratamento das hemorróidas. Mariscas: são uma consequência das hemorróidas trombosadas e quase nuna requerem tratamento. Pólipo hemorroidário: são formações fibrosas mais ou menos volumosas que se inserem na superficie das hemorróidas. COMO SE TRATAM AS HEMORRÓIDAS? A doença hemoroidária é uma doença crónica que nenhum tratamento resolve definitivamente. A repetição do tratamento com maior ou menor frequência é o habitual. 1 - A primeira preocupação é regularizar o transito intestinal. Amolecer as fezes com dieta rica em fibra, se necessário complementada com laxantes de volume, resolve na maior parte das vezes os sintomas e não são necessárias outras medidas terapêuticas. A aplicação local de pomadas heparinóides, anti-inflamatórias e cicatrizantes e, os medicamentos flebotónicos com o intuito de parar a hemorragia são muito utilizados mas não há estudos que justifiquem o uso destas pomadas ou destes comprimidos. É duvidoso que a maior parte destas medidas tragam algum benefício e podem ter efeitos secundários desagradáveis. A utilização de pomada corticoides pode ser útil para debelar a inflamação mas não devem utilizar-se mais de uma semana. 2 - Se amolecer as fezes não for suficiente e o prolapso das hemorróidas ou a perda de sangue continuarem recomenda-se uma das técnicas da chamada terapêutica instrumental: Escleroterápia Fotocoagulação com Infravermelhos Laqueação elástica ou ligadura elástica Procedimento para prolapso das hemorróidas (PPH) - técnica de Longo Todos estas técnicas podem ser eficazes. A ligadura elástica é o tratamento instrumental mais utilizado em todo o mundo. É uma técnica, fácil de aplicar, não exige internamento, raramente é causa de dor, as complicações (hemorragia, infecção) não são frequentes e, quer a procidência quer a hemorragia resolvem na maior parte dos casos. A ligadura elástica é uma verdadeira hemorroidectomia. As hemorróidas laqueadas necrosam e caiem 5-10 dias depois da laqueação. A aplicação de uma nova ligadura elástica, algum tempo depois (meses ou anos) pode ser necessária. 3 - Se estas técnicas falharem recorre-se à cirurgia - hemorroidectomia ou PPH. Em 1993 o cirurgião italiano Antonio Longo de Palermo apresentou uma nova técnica (procedimento para polapso hemorroidário - PPH) que apresenta várias vantagens sobre a hemorroidectomia. A dor e o tempo de regresso ao trabalho é menor do que na cirurgia clássica. Nesta técnica é preservada a fisiologia anal sendo conservada a almofada hemorroidária. 4 - A trombose hemorroidária é uma situação dolorosa, aguda, que exige actuação urgente. Se existe apenas um trombo simples o médico faz anestesia local e uma incisão com enucleação do trombo. Muitos trombos de pequenas dimensões, quando são observados pelo médico, já a dor passou, e estão em fase de resolução. 5 - Se são hemorróidas prolapsadas, edemaciadas, congestionada, trombosadas com sinais inflamatórios o médico recomenda repouso, analgésicos anti-inflamatórios, e a aplicação olcal de anestésicos nos primeiros dias, e a cirurgia - hemorroidectomia. Esta crisea agudas são com frequência relacionadas com a ingestão de álcool. piripiri, mariscos etc. 6 - Mariscas - Na margem do ânus é frequente a existência de pregas de pele perianal (ver imagem acima). Essas pregas são uma consequência da trombose hemorroidária e não requerem tratamento. Não devem confundir- se com os condilomas.
Desenho mostrando as hemorróidas
Desenho de hemorróidas procidentes
Trombo hemorroidário
Mariscas
ÂNUS