I PARTE - Anatomia Átomos Moléculas Células Tecidos Órgãos Sistemas Corpo humano O corpo humano é constituído por milhões de células. As células tornam-se complexas para formarem os tecidos: epitelial (escamoso, colunar, cuboidal), conjuntivo (conjuntivo p. dito, cartilagíneo, ósseo), muscular (estriado, liso e cardíaco) e nervoso (neurónio, nevróglia). Os órgãos (ocos ou parenquimatosos (compactos)) são constituídos por dois ou mais tecidos: rins, ovários, estômago, fígado, cérebro, pulmões, tiróide etc etc... Cada órgão tem uma actividade própria. O conjunto dos órgãos que asseguram a mesma função constituem um aparelho ou sistema: nervoso (cérebro, medula, nervos e órgãos dos sentidos); endócrino, esquelético (ossos, articulações); muscular; tegumentar (glândulas, pelos e unhas), reprodutor, urinário, digestivo, respiratório (pulmões e vias respiratórias); linfático (gânglios, vasos linfáticos e linfa) e cardiovascular (coração, vasos e sangue). As células têm estrutura diferente conforme as funções que desempenham. ANATOMIA DO APARELHO DIGESTIVO TUBO DIGESTIVO o Esófago o Estômago o Intestino Delgado: duodeno, jejuno, íleo o Intestino Grosso: cólon, recto o Ânus ÓRGÃOS ACESSÓRIOS o Boca - dentes, língua o Glândulas salivares o Fígado o Via Biliar o Pâncreas Da boca ao ânus o tubo digestivo tem, no adulto, cerca de 9 m e, atravessa 3 cavidades: cavidade torácica, cavidade abdominal e cavidade pélvica. Nem a boca nem a faringe fazem parte do tubo digestivo, um tubo muscular, oco, que começa onde a faringe se liga ao esófago e termina no ânus. O intestino delgado é assim chamado porque o seu diâmetro tem em média 3 cm e o intestino grosso tem em média 7 cm. Algumas regiões são separadas por um espessamento muscular chamado esfíncter. Os esfíncteres abrem e fecham automaticamente (são inervados pelo sistema nervoso autónomo) para permitir ou impedir a passagem do conteúdo duma região para a outra. Apenas o esfíncter anal depende da nossa vontade (é inervado pelo SNC). Um esfíncter não é uma válvula. No tubo digestivo humano, não há válvulas, como há no coração. A tradicionalmente chamada válvula ileocecal é no homem um esfíncter muscular. EES - esfíncter esofágico superior - separa a faringe do esófago EEI - esfíncter esofágico inferior - separa o esófago do estômago Piloro - separa o estômago do duodeno Esfíncter de Oddi - separa o canal biliar comum do duodeno Válvula ileocecal - separa o íleo do cego Esfíncter anal - separa o recto do ânus O músculo diafragma separa a cavidade torácica da cavidade abdominal. O peritoneu é uma dupla membrana dentro da cavidade abdominal. Uma das membranas chamada visceral cobre o intestino e os outros órgãos da cavidade, a outra membrana chamada parietal cobre a superfície interna da cavidade abdominal e pélvica, assim como a superfície inferior do diafragma. Entre estas duas membranas existe um líquido lubrificante (cerca de 50 ml) que evita a fricção. Alguns órgãos do abdómen estão atrás do peritoneu como acontece com os rins, cólon ascendente, cólon descendente e, acontece com quase todo o duodeno, com quase todo o pâncreas e com parte de recto, são órgãos retroperitoneais. Outros órgãos são completamente envolvidos pelo folheto visceral do peritoneu como acontece com o fígado, estômago, jejuno, íleo, cólon transverso, cólon sigmóide, são órgão intraperitoneais. O peritoneu forma pedículos por onde correm os vasos e os nervos que segundo os casos se chamam: meso, epiplon e liganento. Parede do tubo digestivo: (É constituída por 4 camadas com estrutura diferente de órgão para órgão) 1. Mucosa 1.1 epitélio 1.2 lamina própria (tecido conjuntivo) 1.3 muscularis mucosae (tecido muscular liso) 2. Submucosa (tecido conjuntivo, plexo submucoso - Meissner) 3. Muscular (tecido muscular estriado, plexo mientérico - Auerbach) 3.1 camada circular 3.2 Camada longitudinal 3.3 Camada obliqua (esta só no estômago 4. Adventícia ou serosa (tecido conjuntivo) Artérias: tronco celíaco artéria mesentérica superior artéria mesentérica inferior Veias: veia esplénica veia mesentérica superior veia mesentérica inferior veia porta veia hepática Linfáticos A linfa é um fluido derivado do plasma que contem nutrientes, oxigénio e transporta linfócitos e anticorpos que lutam contra a infecção. Nos linfáticos do intestino a linfa tem aspecto leitoso devido à riqueza em ácidos gordos. Os linfáticos e gânglios intestinais drenam para canais maiores até aos linfáticos e gânglios para-aorticos e finalmente cisterna do quilo ou cisterna de Pecquet (Jean Pecquet médico francês 1622-1674) Nervos Sistema nervoso entérico o plexo submucoso o plexo mientérico Sistema simpático Sistema parassimpático O tubo digestivo tem um sistema nervoso entérico que funciona sem necessidade de qualquer ligação. Localizado na submucosa (plexo submucoso ou de Meissner - médico alemão 1829-1905) estimula a secreção de muco e as contracções da muscularis mucosae e na muscular (plexo mientérico ou de Auerbach - médico alemão 1862-1897) é sobretudo responsável pelas movimentos peristálticos desencadeados pela contracção da muscular. Embora independente o plexo entérico recebe impulsos do sistema nervoso autónomo (simpático e parassimpático) formando o eixo intestino-cérebro (gut-braim axis) a que cada vez se dá maior importância. Ver afecções funcionais C CONTINUA NA II PARTE - Fisiologia
O APARELHO DIGESTIVO - visão geral-1